Entenda de uma vez por todas como calcular o capital de giro

Tempo de leitura: 4 minutos

O capital de giro de um negócio é o que permite o seu funcionamento e a manutenção de suas operações, pois é ele que suporta todos os custos da empresa. Por tamanha importância, é essencial a todo empreendedor saiba como calcular o capital de giro e administrá-lo.

Neste post, vamos explicar de que maneira fazer o cálculo levando em conta os números do mês e do curto prazo à frente, dando dicas sobre como cuidar bem do capital para que o negócio não corra riscos.

Como calcular o capital de giro?

Para realizar o cálculo, primeiramente é preciso ter em mãos o balanço patrimonial da empresa, que conta com os valores de ativo e passivo. São esses números que, respectivamente, serão somados e subtraídos da conta para revelar o resultado.

Somar o ativo circulante

No ativo circulante são elencados os valores referentes a disponibilidades que a empresa tem e os elementos que podem ser rapidamente convertidos em dinheiro, como dinheiro no caixa e em contas bancárias mais os recebíveis em curto prazo — previstos para o ano corrente.

Por exemplo:

  • caixa: R$ 3 mil;
  • conta bancária: R$ 5 mil;
  • recebíveis de clientes para o mês: R$ 4 mil;
  • recebíveis de clientes no curto prazo: R$ 45 mil;
  • total: R$ 57 mil.

Nesse caso, os recebíveis do mês foram separados dos de outros meses, do curto prazo, para que seja possível obter resultados tanto para o período mensal quanto uma previsão para depois dele, como veremos adiante. Sendo assim, o ativo circulante para o mês é de R$ 12 mil, enquanto para todo o curto prazo é de R$ 57 mil.

Somar o passivo circulante

Ao contrário do ativo, no passivo circulante ficam as obrigações do negócio para o curto prazo, como salários e impostos a pagar.

Seguindo com o nosso exemplo:

  • salário a pagar no mês: R$ 4 mil;
  • impostos do mês: R$ 2 mil;
  • obrigações previstas para o curto prazo: R$ 39 mil;
  • total: R$ 45 mil.

Com os valores hipotéticos colocados, as obrigações para o mês seriam de R$ 6 mil, enquanto para o curto prazo totalizariam R$ 45 mil.

Agora, fazendo o cálculo teremos um capital de R$ 6 mil para o mês e R$ 12 mil para o curto prazo.

Como gerenciar bem o capital de giro?

Atentar para os fatores prejudiciais

Entre os fatores que mais prejudicam os saldos do capital e os colocam em risco estão a elevação dos custos já tidos pela empresa e a adição de outros.

Por um lado, podem ser necessários para gerar mais faturamento com o atendimento de mais clientes, o que é bom. Porém, por outro, eles podem se tornar mais pesados sem que isso aconteça por questões externas ou descuidos internos, o que demanda atenção e revisão das contas para que não ocorra perda de capital.

Otimizar a geração e a manutenção do capital

Algumas medidas podem ajudar a empresa a manter sua saúde financeira com capital de giro adequado para as operações e sobras para possíveis investimentos ou imprevistos.

Uma dessas medidas é diminuir o prazo médio dos recebíveis, fazendo o dinheiro entrar mais rapidamente no caixa. De outro modo, se não for possível reduzir os prazos, é possível tentar adiantar os recebimentos oferecendo pequenos descontos para pagamentos com antecipação, fazendo as entradas girarem mais rapidamente.

Em relação aos gastos, quando possível, pode-se aceitar prazos sem juros ou adições quando essa condição for apresentada. Dessa maneira, não é preciso que um valor possivelmente relevante saia do caixa em uma única vez, ficando o pagamento dividido por algum tempo e em valores menores.

Saber como calcular o capital de giro e administrá-lo não é importante apenas para a gestão financeira e empresarial. As metas que o responsável pelo negócio define podem não ser alcançadas por problemas ligados ao capital.

Por exemplo, se não há disponibilidades para aumentar a equipe fica difícil aumentar a clientela. E o mesmo vale para o caso de não haver sobras para investir em marketing.

Então, preste muita atenção ao seu capital e repita a conta com frequência para não ter surpresas negativas. E não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdo importante para a gestão da sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *