Como calcular margem de lucro? Descubra agora!

Tempo de leitura: 3 minutos

Ao precificar um serviço ou produto não se pode cometer erros na definição do lucro, pois isso pode acarretar prejuízos para o negócio. Saber como calcular margem de lucro corretamente não só evita danos, mas garante o retorno financeiro buscado nas atividades.

Além disso, a margem obtida também é a responsável por possibilitar que a empresa cresça. Isso porque o valor a remunera pelas operações e garante acúmulo de disponibilidades para melhorias, contratações, marketing e fazer outros investimentos que ajudam no crescimento. Neste artigo vamos ensiná-lo a calcular seu lucro e como diferenciar margens distintas. Confira!

Diferença entre margem de lucro e margem líquida

A margem de lucro é a margem bruta que a empresa ganha em cada venda feita ou serviço prestado após a redução dos custos e impostos diretos.

No caso de uma venda, o custo é da compra da mercadoria. Já na prestação de serviço é o gasto necessário para entregá-lo.

Já a margem líquida representa o que efetivamente entra no caixa da empresa, inclusive, após a redução dos custos indiretos.

Como calcular margem de lucro bruta

  • serviços prestados no mês: R$ 20 mil;

  • impostos diretos: R$ 1.500 mil;

  • ferramentas e materiais utilizados: R$ 2 mil;

  • margem bruta: R$ 16.500 mil.

Para chegar ao percentual, basta dividir a margem bruta pelo faturamento total e multiplicar o resultado por 100:

  • R$ 16.500 mil ÷ R$ 20 mil = 0,825;

  • 0,825 x 100 = 82,5% é a margem bruta.

Como calcular margem de lucro líquida

  • serviços prestados no mês: R$ 20 mil;

  • impostos diretos: R$ 1.500 mil;

  • impostos indiretos: R$ 500;

  • ferramentas e materiais utilizados: R$ 2 mil;

  • salário do funcionário: R$ 3 mil;

  • despesas administrativas: R$ 1 mil;

  • margem líquida: R$ 12 mil.

Percentual: R$ 12 mil ÷ R$ 20 mil = 0,6 x 100 = 60% de margem líquida.

O que é e como aplicar o markup

O markup é um multiplicador aplicado sobre a despesa de um produto ou serviço para revelar um preço de venda que cubra esse custo, pague os gastos fixas e variáveis e gere lucro.

Para chegar ao markup é preciso levar em conta os fatores citados, que após o cálculo vão gerar o índice utilizado.

Nas despesas fixas é preciso somar gastos que mensalmente ocorrem, independentemente do volume de vendas ou serviços. Algumas despesas são necessárias para manter o negócio com as portas abertas, como aluguel do imóvel, telefone, internet e energia elétrica.

As variáveis, como o nome diz, dependem do volume de operações, daí a variação. É o caso de impostos, comissões e compras de produtos, ferramentas e materiais.

Depois de somadas as despesas é preciso convertê-las em percentual para se chegar ao markup. E para exemplificar, vamos utilizar os mesmos dados da hipótese citada anteriormente:

  • serviços prestados no mês: R$ 20 mil;

  • impostos diretos: R$ 1,5 mil;

  • impostos indiretos: R$ 500;

  • ferramentas e materiais utilizados: R$ 2 mil;

  • salário do funcionário: R$ 3 mil;

  • despesas administrativas: R$ 1 mil;

  • margem líquida: R$ 12 mil.

Desses números podemos extrair os seguintes percentuais:

  • despesas variáveis: R$ 4 mil (20%);

  • despesas fixas: R$ 4 mil (20%);

  • margem desejada: 50%.

Posteriormente, o cálculo é feito com os números convertidos em decimais:

  • 100 – (20 + 20 + 50);

  • 1 – (0,2 + 0,2 + 0,5);

  • 1 – 0,9 = 0,1.

Por fim, divide-se 1 pelo resultado obtido: 1 ÷ 0,1 = 10. Esse é o markup.

Agora podemos aplicar o multiplicador no custo de produtos ou serviços. Por exemplo, se R$ 150 são gastos para realizar uma prestação, o valor de venda do serviço fica em R$ 1.500, o qual vai cobrir todas as despesas e ainda gerar o lucro desejado de 50%.

No exemplo, usamos números considerando uma periodicidade mensal. Porém, se preferir, o responsável pela precificação pode definir percentuais individualizados para cada prestação de serviço ou produto vendido, o que é bom principalmente se mais de um item for oferecido.

Ao saber como calcular margem de lucro corretamente e entendendo a importância dela, seu negócio poderá definir preços com mais segurança e manter a saúde financeira.

Tem mais alguma dúvida sobre o assunto ou uma prática própria para compartilhar? Comente abaixo, teremos prazer em ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *