O que são relatórios contábeis e qual a importância para a gestão da sua empresa?

Tempo de leitura: 6 minutos

Relatórios contábeis são registros que devem integrar a organização de qualquer empresa, independentemente de seu tamanho e do mercado em que atua. Tratam-se de métricas que a gestão utiliza para melhorar a tomada de decisões, além de cumprir com as obrigações legais perante os órgãos regulamentadores.

Por isso, no conteúdo de hoje, mostraremos tudo o que você precisa saber sobre os relatórios contábeis e a sua importância para a empresa. Continue a leitura do artigo para conferir mais detalhes sobre o assunto!

O que são relatórios contábeis?

De modo simplificado, são documentos que têm como objetivo descrever, de maneira técnica, todos os dados colhidos pelos departamentos de contabilidade das organizações.

Neles, devem constar informações como:

  • impostos, encargos e tributos devidos ou pagos;
  • valores de despesas;
  • custos;
  • receitas obtidas por meio da venda de produtos ou comercialização de serviços da empresa.

Em geral, os relatórios contábeis devem ser realizados uma vez ao mês, a cada três meses ou anualmente. Lembrando que a frequência pode variar conforme as normas internas estabelecidas pelos empreendimentos.

Para ter acesso a esses registros, quando for necessário, as informações podem ser disponibilizadas em documentos impressos ou, se for da preferência dos gestores das empresas, em arquivos digitais.

Qual é a importância dos relatórios contábeis para as empresas?

Os relatórios abrangem os mais variados aspectos de uma corporação, passando pela gerência, diretoria, recursos humanos, até o conselho administrativo. Isso significa que quanto mais precisos, mais relevantes eles se tornam para a tomada de decisões.

A partir da análise e da identificação dos dados de cada relatório, é possível encontrar estratégias mais assertivas e obter soluções que atendam as necessidades atuais do empreendimento.

Após passar pela análise de profissionais qualificados e estimular o desenvolvimento de ideias e opiniões, o relatório contábil, com sua versatilidade e vasta abrangência, se torna fundamental para a decisão definitiva do empreendedor.

Quais são os tipos de relatórios contábeis?

As duas categorias existentes são os de natureza obrigatória e os não obrigatórios.

Também conhecidos como demonstrações financeiras, os relatórios obrigatórios são aqueles exigidos por lei. Dentre eles, podemos citar a DOAR (Demonstração das Origens e Aplicações de Recurso) e o Balanço Patrimonial, apesar de existirem muitos outros.​​ A depender do caso, pode ser necessário fazer a publicação desses relatórios por meio de um documento impresso e escrito.

Já os relatórios não obrigatórios são aqueles não exigidos pela legislação. Apesar disso, eles têm extrema importância para a tomada de decisões dos gestores e diretores das empresas, visto que suas informações podem influenciar diretamente nos investimentos, redução de custos, questões tributárias, entre outros aspectos.

Dentre alguns dos relatórios contábeis não obrigatórios utilizados pelas empresas, podemos citar:

  • Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA);
  • Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC).

Mostraremos agora informações resumidas sobre alguns dos relatórios contábeis que fazem parte da rotina de organizações dos mais variados portes e segmentos de atuação no mercado:

Livro Razão

Esse é um relatório exigido pela legislação e, certamente, vital para qualquer empresa, já que controla o movimento de todas as contas. Seu controle é realizado separadamente, proporcionando métricas e indicadores como:

  • composição de patrimônio ativo e passivo;
  • saldos;
  • fluxo de caixa (receitas, despesas e custos);
  • patrimônio líquido.

Além disso, muitos outros demonstrativos devem ser feitos e lançados por meio do Livro Razão.

Livro Diário

É outro relatório cronológico, exigido por lei e essencial para os processos contábeis das empresas atuais. Nele, devem ser lançadas todas as operações diárias do negócio. Em sua formatação, devem ser expressas informações como:

  • título da conta de débito e conta de crédito;
  • data da operação;
  • valor do débito e do crédito;
  • histórico financeiro (sucinto, mas brevemente detalhado).

DMPL (Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido)

Esse já é um dos relatórios contábeis que se encaixa na categoria de documentos não obrigatórios. Apesar de sua realização ser facultativa, a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido é muito importante, pois aponta as mudanças que o patrimônio líquido da empresa sofreu por meio de uma representação objetiva e simplificada.

Nela, devem constar dados como:

  • capital;
  • margem de lucro;
  • reservas de capital;
  • lucros;
  • prejuízos;
  • prejuízos acumulados;
  • entre outras informações.

Sua função é, basicamente, oferecer um panorama da real situação do empreendimento (pertinente ao seu patrimônio líquido), mostrando as alterações ocorridas e quais impactos tiveram maior ou menor influência sobre ele.

Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

Também enquadrada na categoria de relatórios contábeis obrigatórios, a DRE tem o objetivo de confrontar os resultados apurados em operações que foram realizadas no decorrer de um determinado período e que, em geral, correspondem ao total de 12 meses.

Na DRE, devem ser discriminadas operações como:

  • despesas com as vendas;
  • receita bruta de vendas e serviços;
  • o resultado do exercício da incidência do IR (pessoa jurídica);
  • lucro ou prejuízo operacional;
  • entre outras indicações relevantes.

Após a comparação entre as despesas, custos e receitas do negócio durante o período preestabelecido, e de acordo com o princípio contábil do regime tributário em que se enquadra a empresa, pode-se chegar a ao resultado líquido de um exercício.

Balanço Patrimonial

Consiste em uma demonstração compulsória e de natureza financeira, que mostra a situação em que o patrimônio da empresa realmente se encontra, refletindo uma perspectiva assertiva do ponto de vista financeiro em um período determinado.

Nesse documento, deve ser constatado se há equilíbrio entre a soma do Passivo (obrigações com terceiros) com o Patrimônio Líquido da organização (obrigações com o próprio empreendimento como, por exemplo, com seus acionistas e diretores) e o Ativo da entidade (seus direitos e bens).

Para concluirmos, vale ressaltar que dentre os relatórios contábeis, o Balanço Patrimonial e o DRE são os mais utilizados no que diz respeito às análises e elaboração de estratégias financeiras das empresas.

O conteúdo sobre relatórios contábeis e sua importância para a gestão empresarial foi útil para você? Então, assine a nossa newsletter para receber todas as postagens semanais e ficar por dentro das principais novidades da área!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *