Retorno sobre investimento: saiba o que é ROI e como calculá-lo

Tempo de leitura: 3 minutos

O retorno sobre o investimento (ROI, de Return On Investment), seja ele de qualquer tipo, é essencial para controlar os resultados das ações da empresa. Além de revelar o sucesso obtido em qualquer investimento feito, o ROI ajuda, ainda, a aplicar melhorias no que já se fez corretamente, como na comparação de resultados de um período ou dos indicadores de ações específicas.

Saiba agora como o uso do ROI qualifica a gestão empresarial, o que é considerado um bom retorno e como calculá-lo.

Como o ROI impacta na gestão?

Ter o retorno sobre o investimento como indicador permanente e balizador para ações orienta a gestão do negócio a resultados. Isso porque tudo será medido, terá critérios bem definidos para avaliação e poderá ser corrigido ou otimizado.

Para empresas de todos os portes, a gestão orientada a resultados é sempre um diferencial. Mais que apenas manter o funcionamento do negócio de maneira saudável, esse gerenciamento é agente interno e extremamente influente de crescimento.

Quando o ROI é bom ou ruim?

De maneira prática, o retorno sempre é bom quando permite o reembolso do investimento e ainda gera lucro, e ruim quando isso não ocorre. Porém, como nenhuma empresa é igual e algumas são totalmente diferentes, um retorno bom acaba sendo relativo a cada negócio, suas ações, seu mercado e seus produtos ou serviços.

Por exemplo, se uma empresa do varejo vestuário investe R$ 1 mil em ações de marketing e gera 10 vendas adicionais que somam R$ 800, é um retorno ruim.

Já se uma imobiliária faz o investimento e gera apenas uma venda adicional, mas de um imóvel de R$ 300 mil, é um bom retorno. O mesmo vale para um desenvolvedor que atue em modelo PJ que invista R$ 500 e consiga apenas um serviço a mais no valor de R$ 3 mil.

Como calcular o retorno sobre o investimento?

O cálculo é relativamente simples, mas deve ser feito sem erros para que o resultado seja confiável. A conta é a seguinte:

  • (retorno total – investimento feito) ÷ investimento = ROI.

Usando o exemplo que demos acima sobre o desenvolvedor e o investimento em marketing, ele seria feito da seguinte forma:

  • (R$ 3 mil – R$ 500) ÷ R$ 500;
  • R$ 2.500 ÷ R$ 500 = 5;
  • ROI de 5 vezes o investimento, ou R$ 5 de retorno para cada real investido.

Como todos os fatores precisam ser incluídos na conta, é preciso atentar à ação que está tendo seu sucesso avaliado. Por exemplo, em uma aplicação financeira é preciso também levar em conta as despesas da operação:

  • investimento: R$ 2 mil;
  • retorno bruto: R$ 2.900;
  • imposto de renda sobre rendimentos: R$ 135;
  • despesas com custódia e liquidação na corretora: R$ 50;
  • retorno líquido: R$ 900 – R$ 135 – R$ 50 = R$ 715;
  • cálculo: (R$ 2.715 – R$ 2 mil) ÷ R$ 2 mil;
  • R$ 715 ÷ R$ 2 mil = R$ 0,35 de retorno para cada R$ 1 investido e reembolsado, ou 35% de retorno.

Nesse último caso ilustrado, também é interessante considerar o período no qual ocorreu o ganho. Os 35% de retorno em uma aplicação de 12 meses é excelente, enquanto para 10 anos é pouco e, possivelmente, nem cobre a inflação de todo esse tempo.

Agora que você sabe usar o retorno sobre o investimento como indicador para o negócio, confira também 5 dicas de gestão financeira para o sucesso do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *