Saiba como fazer a precificação de serviços para sua empresa

Tempo de leitura: 4 minutos

Uma das principais dificuldades enfrentadas por prestadores de serviços é saber quanto cobrar pelo seu trabalho. Afinal, vender o seu trabalho pelo preço errado pode ser fatal para a sustentabilidade do negócio.

Para evitar isso, é essencial saber como calcular o valor do seu trabalho. Mas, então, como fazer essa precificação de serviços? É o que mostramos neste artigo! Continue a leitura e aprenda o que levar em conta:

Por que a precificação de serviços é tão importante?

A má formação de preços representa um grande risco para qualquer empreendimento. Se a precificação estiver errada, em um momento o empreendedor terá que compensá-la alguma forma, o que reduz os lucros e afeta diretamente a futuro do negócio. No geral:

  • se o preço for baixo demais, a empresa terá prejuízo e não se sustentará;

  • se o preço for alto, os clientes se afastarão, dificultando as vendas e o crescimento da empresa;

  • se o preço for injusto, a empresa perde confiança dos clientes, prejudicando sua imagem e credibilidade.

Quais fatores influenciam no preço de um serviço?

A percepção de qualidade em qualquer serviço é determinada por quatro fatores básicos — que, consequentemente, influenciam em seu preço final. Vejamos quais são eles.

1. Intangibilidade

Um serviço não é palpável: ele não pode ser visto, provado ou sentido. Por isso, antes da aquisição, a qualidade dele só pode ser percebida por meio de algumas evidências, como:

  • boas instalações e equipamentos;

  • funcionários profissionais;

  • atendimento prestativo antes e durante a venda;

  • comunicação adequada com clientes, entre outras coisas.

2. Perecibilidade

Não é possível guardar um serviço para venda ou uso posterior. Logo, se ele não pode ser estocado, a sua qualidade também dependerá da disponibilidade de oferecê-lo no momento que o cliente quer.

3. Variabilidade

A prestação de um mesmo serviço pode ser altamente variável, dependendo de três fatores:

  • quem é o prestador do serviço;

  • onde o serviço será prestado;

  • quando o serviço será prestado.

Inclusive, minimizar essa variabilidade e manter o serviço sempre no mesmo padrão de qualidade é uma característica valorizada pelos consumidores.

4. Simultaneidade

Um serviço não pode ser separado de quem o presta. Se um profissional é quem o fornece, então ele também é parte desse serviço. No mesmo sentido, como o cliente pode estar presente quando o serviço é executado, a interação do prestador também é parte essencial da qualidade e do resultado do serviço.

Como precificar um serviço?

A precificação de serviços ocorre com base em três etapas, ou aspectos: custo, valor e concorrência. A seguir, apresentamos cada um deles:

1. Custo

Toda precificação de serviços começa com o levantamento dos custos necessários à sua realização. A prestação de serviços depende, basicamente, da mão de obra de um profissional — mas esse não é o único custo envolvido. Além do valor da hora trabalhada, também é preciso levantar tudo que o prestador gasta, como:

  • custos operacionais, (compra de matéria prima e equipamentos);

  • custos fixos (aluguel, água, luz, telefone, internet, manutenção);

  • salários de outros funcionários;

  • despesas com administração, marketing e vendas;

  • impostos, tributos, taxas, exigências legais, entre outros.

2. Valor

Após delinear os custos, chega a hora de definir quanto vale o serviço, em si. E a forma mais objetiva de determinar isso é pelo cálculo de Markup. Basicamente, ele é o percentual a ser multiplicado sobre o custo do serviço. Sua fórmula é simples:

Custo total unitário do serviço x Percentual de Markup = Preço do Venda

Ao aplicar esse índice, o prestador terá a garantia de que o preço cobrirá todos os gastos, e ainda terá uma margem de lucro.

3. Concorrência

O preço de venda também dependerá do nível de concorrência encontrada pelo prestador de serviço no mercado em que ele atua. Quanto a isso, duas situações pode acontecer:

  • o serviço ter poucos concorrentes ou for o único na região — o prestador terá mais liberdade para aumentar suas margens.
  • o serviço ter muitos concorrentes — o prestador precisará reduzir suas margens para permanecer competitivo ou encontrar um fator de diferenciação que justifique o preço.

Enfim, a precificação de serviços é mesmo mais difícil do que a de produtos. Porém, como vimos, tudo depende de aplicar o cálculo certo! Então, gostou do post? Para mais conteúdos como este, assine a nossa newsletter e receba nossas próximas novidades gratuitamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *